quinta-feira, 30 de novembro de 2017

"Toquem os sinos: chegou o nosso Passatempo de Natal"

#@ Já estou em modo Natal cá por casa, por isso (e conforme prometido na página de facebook 😜), o Blogue da Mamã do Bazar, em parceria com seis marcas 100% portuguesas e com ADN 1000% empreendedor, DÃO.

Como nós adoramos dar, e vocês receber 😊, preparamos um passatempo fantástico, com um cabaz de sonho, para colorir ainda mais o vosso Natal. 
São seis prémios (sim leram bem!); seis prémios fabulosos, que algum sortudo irá ganhar: uma grinalda para a porta, cortesia da Only Crafts; seis decorações de natal para a árvore, cortesia de As Tralhas; 12 marcadores para a mesa da Consoada, cortesia de Detalhes by Cat; uma caneca personalizada a gosto, cortesia de Sweet Dreams 2017; um babete bandana alusivo ao natal, cortesia de Um,dois,três; e o livro "Eu e o meu amigo pingo de gente", cortesia de Necisses Arte:
        
  

Para participar basta:
- Fazer gosto e seguir na página de facebook do Blogue da Mamã do Bazar
- Fazer gosto e seguir na página de facebook de Only Crafts
- Fazer gosto e seguir na página de facebook de As Tralhas
- Fazer gosto e seguir na página de facebook de Detalhes by Cat
- Fazer gosto e seguir na página de facebook de Sweet Dreams 2017
- Fazer gosto e seguir na página de facebook de Um,dois,três
- Fazer gosto e seguir na página de facebook de Necisses Arte
- Identificar três amigos no post do passatempo na página de facebook do Blogue da mamã do Bazar
- Partilhar o post da página de facebook do Blogue da Mamã do Bazar de forma pública.

O passatempo decorre de 30 de Novembro a 10 de Dezembro às 23:59. O vencedor será escolhido via random.org e divulgado durante o dia 13-12.
Podem participar as vezes que quiserem, desde que identifiquem três pessoas diferentes em cada participação.

Entretanto, visitem as páginas das marcas e vão escolhendo presentes para a famíliae amigos.
Vão ficar rendidos com tanta coisa gira! Só é difícil escolher 😍!

Não se esqueçam de seguir o  Blogue da Mamã do Bazar  para estarem sempre a par das novidades 😉.

Vejo-vos no próximo post!

Boa sorte!

@Mamã do @Bazar @#

*A imagem do passatempo é uma criação de @Detalhes by Cat

quarta-feira, 29 de novembro de 2017

"Hoje tirei o dia para cuidar de mim!"

#@ Quem me acompanha no facebook (sim, também estou "lá"; se ainda não deixaram o vosso like, podem fazê-lo clicando aqui, sim 😉?) sabe que esta semana estou de férias. 
Gosto sempre de ter férias nesta altura (última semana de Novembro ou primeira de Dezembro) pois ainda não há a "confusão típica" do Natal; ainda é possível circular livremente pelas lojas, centros comerciais, comércio tradicional... Assim, consigo comprar os presentes rapidamente em um ou dois dias, e ainda sobra tempo para estar em família e para cuidar de mim.

É um fato que, desde que fui mãe, passei a colocar-me (automaticamente e sem remorsos) em segundo plano, mas, também é verdade, que percebi que tenho de cuidar de mim e "mimar-me" de vez em quando. Faz bem ao ego e ao coração. Todas deviamos poder fazê-lo de vez em quando, não acham? Mais do que um direito, devia mesmo ser um dever - para sermos o melhor que conseguimos, temos de estar no nosso melhor; de outra forma "a coisa não funciona".

Assim, hoje fui cuidar de mim, ou melhor, deixei que cuidassem de mim na Rita Nuances - Cabeleireiro e fiquei completamente rendida. Tenho não só um novo look que adoro e umas unhas fashion até mais não; como ainda vim de lá super bem disposta e cheia de energia, graças a um atendimento de excelência e a uma boa disposição contagiante, que me deixaram com vontade de cuidar de mim muitas mais vezes 😊! Estes são os sorrisos que nos recebem - "digam" olá à Mónica e à Rita:
Enquanto fiz madeixas e corte com a Rita, a Mónica tratou das minhas unhas e estava despachada em menos de nada; fiquei fã ☺!
Um espaço super moderno e acolhedor; preços simpáticos, aliados a um atendimento e profissionalismo de excelência só podiam resultar numa cliente satisfeita (e fidelizada, que é o mais importante 😁!):
Convido-vos a conhecer mais sobre este espaço aqui ; e, caso queiram visitar, não se façam de rogados: serão bem recebidos e "não vão querer outra coisa".
E, já chega de suspense... Só falta mesmo "mostrar o resultado" (diga-se de passagem que o maridão adorou!). Eis o meu novo "Eu":
Gostam do look? Mais alguém tira um dia, de vez em quando, para cuidar de si? Contem-me tudo; "sou toda ouvidos".

Até ao próximo post!

@Mamã do @Bazar @#

segunda-feira, 27 de novembro de 2017

"Vou contar-vos um segredo: a Mariana é uma mini-cientista"

#@ Como sabem, o tempo a três é pouco, devido aos horários opostos da mãe e do pai, mas quando estamos juntos, tentamos fazer atividades que estimulem a Mariana, tendo em conta os seus gostos e preferências. 
Normalmente, as "brincadeiras preferidas" da princesa são jogos, puzzles e experiências. Começamos com as plasticinas, em que criava a "sua comida" e "bebés"; passando depois às aguarelas e às texturas, através de colagens com diferentes materiais, como as folhas as árvores, a lã e as cascas de fruta, por exemplo.

Como euzinha sou fã da Science4you desde sempre, não só por ser uma marca 100% nacional e inovadora, mas por todos os produtos que comercializa e valores que transmite, desde cedo a marca faz parte do dia a dia da princesa cá de casa: livros e jogos são uma companhia frequente e muito apreciada. 
Por sorte (e que sorte!) tive a oportunidade de experimentar um dos brinquedos da Science4you com a Mariana, e juntas partilhamos uma tarde de plena diversão e descoberta com a Ciência dos Batons:
Começamos por juntar a mistura de ingredientes que vem incluída no kit:
Em seguida, inserimos a mistura homogeneizada no molde, e demorou cerca de duas horas a solidificar:
"Et voilá" - o primeiro batom da Mariana disse olá ao mundo (e o maridão ainda mais "assustado" por ver a sua princesa a crescer 😜) e fomos logo as duas experimentar  - sim porque eu também quis testar:





















Com o Natal "à porta", a "minha mini-cientista" não se fez de rogada: Jardim Encantado, Mega Fan Cubes, Que horas são?  e a Fábrica dos Cupcakes estão na lista de presentes que pediu aos avós 😊. Ficou prometido que pelo menos um viria juntar-se ao sapatinho da Mariana, para mais momentos de aprendizagem e diversão. 

Também têm "mini-cientistas" aí por casa? Costumam fazer experiências com a "companhia" da Science4you? Quais os vossos preferidos? Já sabem que "sou toda ouvidos".

Sigam-nos no facebook aqui.

Até ao próximo post!

@Mamã do @Bazar @#

* Um agradecimento especial à Science4you por nos ter proporcionado uma tarde repleta de descobertas.

sábado, 25 de novembro de 2017

"Está "aberta" a época natalícia cá em casa!"

#@ Diz o ditado que "Natal é quando o Homem quiser", mas cá em casa, só começa a "cheirar" a Natal quando a árvore está montada. A Mariana já vinha a pedir há uns dias (quase duas semanas), mas, por falta de tempo, fui adiando.

Ora hoje, a 30 dias do Natal, uma das atividades de mãe e filha, foi montar e decorar a árvore juntas. Pela nossa tradição, todos os anos compramos enfeites novos, que vamos adicionando. Os de 2017 foram escolhidos pela princesa: bolinhas verdes e maçãs vermelhas.
Como a árvore é muito grande, há sempre espaço para mais umas decorações, por isso não me importo (e adoro) "este nosso momento" de compra de miminhos para embelezar.

Há enfeites que têm um significado. Por exemplo, a estrela no topo da árvore foi comprada no ano em que passamos o primeiro natal casados (2010); a botinha de Natal (de @Criações by Marina Alves) foi feita no ano em que descobri que estava grávida (2013);o anjinho no ano em que a princesa nasceu; e, este ano, contamos com a presença especial dos corações de Maria, feitos pela mãe da querida princesa @Believe Maria Marques. Vou também acrescentar algumas figuras manuais que a Mariana faça na escolinha.
Gosto das árvores tradicionais - verde (cor da esperança); mas sempre tive uma paixão pelas brancas - cor da paz. Então, em 2013, quando nos mudamos para a nossa casa atual, e porque foi o primeiro natal grávida, compramos esta árvore, que nos acompanha desde essa altura. Espero que a cada ano lhe somemos histórias e alegrias sem fim. Aqui está ela:
Alguém que me esteja a ler e também já tenha feito a árvore? Há alguma tradição que queiram partilhar? Ou têm fotos para mostrar? São bem vindos e eu "sou toda ouvidos" 😊.

Sigam a página de facebook aqui.

Vejo-vos no próximo post.

@Mamã do @Bazar @#

sexta-feira, 24 de novembro de 2017

"As tarefas domésticas que esperem!"

#@ Por norma, cá em casa, ao fim-de-semana - entenda-se sábado - é sinónimo de lides domésticas: mudar camas, passar a ferro, limpar e arrumar... Quando o maridão está de folga, acaba por ser mais simples, pois ele ajuda ou brinca com a princesa, enquanto eu me dedico mais às tarefas; quando ele está a trabalhar, torna-se mais complicado...

Sem família por perto, acabo por ficar um pouco "sobrecarregada" nos fins-de-semana em que o maridão está a trabalhar. Por mais que tente, durante a semana, a sair para trabalhar às 07h e a entrar em casa às 19h (ou mais tarde), acaba por ser humanamente (muitoooo) difícil, conseguir ter as "coisas em dia". Então, ao sábado, a minha mente e corpo "ligam o botão turbo" e tentam despachar ao máximo as "obrigações caseiras", de forma a que o domingo possa ser totalmente dedicado à Mariana.

Mas, o sábado passado "caiu-me a ficha"... Enquanto andava a aspirar, a filhota começou a chamar-me para "irmos beber chá com os bebés". Respondi-lhe que não podia; que a mamã estava a limpar a casa. Voltou para a sala. Passados poucos minutos voltou e pediu para irmos pintar. De novo, disse que não podia; que estava a apanhar e dobrar roupa. E lá foi a Mariana para a sala. 

Continuei nas "limpezas", mas estranhei o silêncio que vinha da sala e fui até lá, pé ante pé, em silêncio, e deparei-me com uma menina muito cabisbaixa, deitada no sofá. "O que se passa filha? Estás triste?". A resposta não tardou: "Sim mamã. Tu nunca brincas comigo. Estás sempre a arrumar e a fazer essas coisas. E eu tenho de brincar sozinha. Não é justo! Não tens tempo para a Mariana".
Fiquei "sem pinga de sangue"; o meu coração "congelou"... É esta a imagem que passo: de uma mãe que "não brinca"; que "não ouve"; que não tem tempo 😣...

Foi o "click" que, definitivamente, faltava para "eu abrir a pestana". Esqueci a casa; as tarefas; a roupa. E brincamos, rimos, partilhamos. E foi tão bom. O mais importante é ver a minha razão de viver bem e feliz. 
Desculpa filha. Do "alto dos teus três anos e meio" consegues saber mais do que eu; valorizar o que realmente importa; "chamar-me" à realidade... Ensinas-me muito. Prometo-te que o meu tempo é só teu. De alma e coração.

Por isso, no fim-de-semana passado, a casa não ficou mais limpa nem arrumada; a roupa não está totalmente em dia; e a minha "fixação com organização" foi esquecida. E querem saber? Não faz mal! Em compensação houve muitos mais sorrisos; cumplicidade; atividades; brincadeira e mimo. No final do dia, não é isso que conta? 
Mais alguém a fazer "boicote" às tarefas domésticas, que se queira juntar a mim? "Sou toda ouvidos".

Enquanto o próximo post "não vem", acompanhem o blogue no facebook aqui; espero-vos lá :)!

@Mamã do @Bazar @#

quarta-feira, 22 de novembro de 2017

"Carta para o papá"

04-09-2010, Nosso Dia, in Quinta do Soito;
Foto by José Raposo Fotografia
#@ Hoje escrevo para o maridão, ou papá, como a Mariana o chama. Já lá vão catorze anos que nos conhecemos em terras de Viriato "ainda era eu uma criança" (como diz a música...) com 18 anos... Não, não foi "amor à primeira vista"; foi um amor que cresceu (sem eu estar à espera!) à medida que a nossa amizade se intensificava.

Embarcamos juntos na aventura de um namoro, sabendo que teríamos pela frente pelo menos quatro anos juntos (tempo de duração do meu curso no Instituto Politécnico de Viseu), e sem nunca tirar da ideia (embora não o dissessemos em voz alta) que depois teria de regressar à minha cidade natal: Lisboa.

Trocamos juras e promessas de amor; fizemos planos; crescemos juntos. Não foi fácil nem perfeito, sobretudo passar três anos à distância, mas foi (e é) verdadeiro e autêntico. E juntos fomos superando as dificuldades e desafios que iam (e vão) aparecendo, acreditando que seria (e será) para sempre.
Agosto de 2009, Portimão, Algarve
A aventura oficial (aka casamento) teve início a 04-09-2010. Mudaste a tua vida toda por mim; por nós; e a capital do país passou a ser a tua; a nossa; nova morada. Os meus amigos receberam-te de braços abertos e as verdadeiras amizades foram-se mantendo, e novas foram chegando. 

Depois desta data, mais anos foram passando, e, claro, algumas zangas também (porque o nosso casamento não é um sonho; mas amor e cumplicidade não nos faltam), e ao longo desta quase década e meia, temos sabido manter a chama acesa. A verdade é que o mais importante "está cá".  

O jovem que conheci outrora passou a homem; de homem transformou-se em pai; e foi nesta altura que realmente percebi o quanto ele completa o que falta em mim. Foi com ele que gerei a maior riqueza da vida: a nossa filha - que nos enche os dias de alegria; preenche os momentos menos bons com gargalhas contagiantes e nos relembra diariamente como é único e valioso o que construímos. 

Correndo o risco de ser lamechas, acredito que é amor Para a vida toda, como diz a música de Carolina Deslandes, que te dedico do fundo do coração.

Esta é a minha homenagem a ti; a nós. Aqui fica o registo eterno, para relembrarmos quando formos muito velhinhos. O resto da história vamos continuar e escrevê-la juntos, caminhando lado a lado, com esta carinha laroca a acompanhar-nos a cada instante:
Golinha by Amore e Fio by Principessa - made with love
Hoje, para variar, não vos digo que "sou toda ouvidos"; digo sim "obrigada por me ouvirem e acompanharem" seja aqui, seja na página de facebook do blogue. E não consigo dizer mais nada; estou de coração cheio ❤.

Temos "encontro marcado" no próximo post; não se esqueçam.

@Mamã do @Bazar @#

segunda-feira, 20 de novembro de 2017

"Vamos ajudar o Banco do Bebé? Os mais pequenos precisam de nós"

#@ Devemos ser solidários todo o ano, mas nesta altura, com o aproximar do Natal, parece que nasce dentro de nós uma "estrela" que brilha e nos faz ter ainda mais vontade de ajudar o próximo. Considero-me uma sortuda: o blogue funciona não só como "o meu escape" para "deitar cá para fora" o que me vai na alma; mas também me ajuda a ajudar quem mais precisa.

A semana passada, tomei conhecimento de uma campanha do Banco do Bebé, que se inicia hoje e decorre até 19 de Janeiro de 2018; e tem como mote "Achar querido não chega..." e tive de a partilhar convosco. A ideia é ajudar um dos bebés acompanhados pela instituição, que estão a precisar muito de leite (0 aos 12 meses); fraldas (2-20 kg); produtos de higiene (gel de banho, cremes assaduras e toalhas); termómetros; ou roupas novas ou usadas (0-3 anos).
Para contribuir, basta irmos com um destes produtos a uma loja dos CTT e pedir a "embalagem solidária" para o Banco do Bebé, que farão chegar os nosso donativos, sem custos, até a uma das 1.300 famílias contempladas por esta ação solidária.  Tão simples, não é? Como podemos ficar indiferentes?

O Banco do Bebé nasceu em 1996 com o objetivo de ajudar crianças dos 0 aos 6 anos, e conta com 96 voluntários e 6 técnicos, que dão o melhor de si todos os dias. Tem diversas parcerias com várias unidades de saúde e atua em área distintas: além das campanhas, apoiam mães internadas; fazem visitas ao domícilio; estão dotados de banco de leite humano; organizam encontros e workshops, entre outros. Tive o prazer e a sorte de falar com uma das voluntárias, a Dra. Constança Lopes Pinto, e tornou-se visível, o amor e dedicação de toda a equipa. Fiquei contagiada. Espero conseguir passar-vos um pouco deste "amor".

Se todos contribuirmos como podermos, no final o pouco tornar-se-á muito, e vai fazer toda a diferença na vida destes pequeninos e das suas famílias. Posso contar convosco? O Blogue da Mamã do Bazar e o Banco do Bebé agradecem de coração ❤.

Podem saber mais sobre a instituição neste link e sobre a campanha aqui. Vamos todos ajudar! Hoje "eles" amanhã nós. E ser solidário é tão bom; enche o nosso coração.

Venham fazer-me companhia na página de facebook do blogue; todos os dias há novidades :)!

Marcamos encontro no próximo post.

@Mamã do @Bazar @#

sábado, 18 de novembro de 2017

"A nossa família (im)perfeita"

#@ Quem acompanha as nossas aventuras sabe que cá em casa somos três: pai, mãe e princesa. Sabe que não temos família ou "rede de apoio" perto; sabe que eu e o maridão trabalhamos em horários opostos; e que a Mariana é, muitas vezes, a primeira a chegar à escola... 

Não somos perfeitos. Há dias em que tudo se torna difícil, desgastante, insuportável... Mas, há sempre um de nós a sorrir; a dar força ao outro; a transformar um dia mau num dia bom. E as famílias são isso mesmo: não sabermos viver uns sem os outros, não conseguirmos ser felizes longe; e mesmo que não nos sintamos perfeitos (nem o sejamos aos olhos dos demais), o outro relembrar-nos que nos amamos, independentemente das imperfeições; que nos amamos nos dias maus e bons. 

Não é fácil trabalharmos os dois a tempo inteiro, passarmos mais de doze horas fora de casa, e a Mariana estar tanto tempo longe de nós. Mas sem termos apoio a quem recorrer, não há outra forma. Não se trata de me lamentar, mas sim de encarar as coisas como elas são... Estamos longe de ser perfeitos, e há alturas em que o cansaço "fala mais alto" e acabamos por "fazer birras" a três... Mas, felizmente, passam a correr. E as famílias são isso mesmo: a soma dos dias perfeitos e imperfeitos.

Somos o reflexo uns dos outros; crescemos juntos; choramos juntos; sabemos a dádiva que é podermos partilhar uma vida em comum - a nossa vida, o conjunto dos dias que nos fazem felizes e completos. E isso é o mais importante: amarmo-nos todos os dias mais um bocadinho, e transmitir esse amor imenso à nossa filha, para que cresça feliz, confiante, segura de si. 

O blogue é um bom companheiro... Permite-nos guardar estes momentos para sempre; eternizá-los... Quando formos velhinhos vamos rir muito juntos ao ver todas as peripécias e aventuras que vivemos; e recordar com orgulho as batalhas e precalços que ultrapassamos. Fomos abençoados com uma princesa, e é por e para ela que escrevo este texto: para que nunca se esqueça que somos perfeitos na nossa imperfeição; e que mesmo não tendo família por perto, o amor dos três nos dá força para seguir, todos os dias, em frente com um grande sorriso 😊.

Mais famílias (im)perfeitas por aí que se queiram juntar a nós e dizer olá? Sintam-se à vontade para desabafar e deixar "um bocadinho" de vocês neste post. Como de costume, "sou toda ouvidos".

Juntem-se à página de facebook do blogue aqui e fiquem a par de todas as novidades e posts. São bem vindos!

Já sabem: temos encontro marcado no próximo post ;). Até lá!

@Mamã do @Bazar @#

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

"Os vicíos da mãe"

#@ Sim, é verdade, a mãe cá de casa (entenda-se euzinha!) também tem os seus vícios. E porque falar e escrever ajudam (e aliviam a alma!), hoje decidi partilhar alguns deles convosco. Assim, "ficam a conhecer-me" um pouco mais 😊.

Ora bem, vou enumerá-los, para ser mais fácil (por favor não me julguem 😉!):

1 - Chás - Simplesmente adoro. A qualquer hora, altura, lugar. Os meus favoritos são os da Tetley.

2 - Fios e brincos - Não consigo evitar não  comprar. Sejam online ou inloco, é rara a semana em que não acrescente um fio "à minha coleção" (ou à da Mariana ☺).

3 - Mercearias em excesso - Sim, que querem que diga? Gosto de ter os armários recheados e a quintiplificar... É habitual ouvir a expressão: "pode vir a guerra que vocês fome não passam 😂".

4 - Fotografias - Adoro tirar fotografias... Aos outros claro! Não tenho olho de profissional, mas gosto de registar momentos e datas importantes. Uma fotografia sobrevive dezenas de anos e conta uma história às gerações vindouras.

5 - Guloseimas - Gomas, salame, batatas fritas, tiras de milho,... Hmmm, admito que sou muitooo gulosa. Evito comprar para depois "não cair em tentação... 

6 - Organização - Eh, sou um bocadinho (gigante!) preocupada com a arrumação e organização de roupeiros, armários da loiça, almofadas do sofá, gavetas, brinquedos... Enfim, desde que fui mãe tenho aprendido a "controlar" estes meus "impulsos organizadores"... Mas, admito que não é fácil; "está-me no sangue".

7 - Falar pelos cotovelos - Yep, culpada eu sou. Quem me conhece sabe que não sei estar calada. Gosto imenso de falar e partilhar. Valha-me a escrita para "aliviar um pouco" os ouvidos de quem faz parte do meu dia a dia 😁😁.

8 - Séries - É verdade. Sou uma "consumidora de séries". Depois da Mariana dormir, nas noites em que o maridão trabalha e posso descansar, (entenda-se não ter tarefas domésticas para fazer....) não perco a "Lei e Ordem SUV"; "Scandal"; "Anatomia de Grey" ou "Elementar".

9 - Bolsas - Sejam carteiras; necessaries; estojos; porta-moedas: "eu vou a todas". Não lhes resisto. De todos os tamanhos, cores, formatos e materiais. Mas, depois, gosto tanto deles, que não os uso porque tenho "pena" 😂. Também vos acontece?

10 - Pontualidade - Pois, sou "maníaca" com os horários. Detesto chegar atrasada a compromissos. Irrita-me esperar ou saber que deixo as pessoas à espera. Se não consigo chegar a horas aviso. Na brincadeira, dizem-me que tenho uma costela inglesa :) (por causa da conhecida "pontualidade inglesa").

Por agora, estes "vícios" já chegam (não quero que se assustem!). Quem se quer juntar a mim e partilhar os "seus vícios"? Será que alguém tem vícios iguais aos meus :P? Toca a contarem-me; "sou toda ouvidos".

Não se esqueçam de me seguir também aqui. Espero-vos lá.

Encontramo-nos no próximo post :).

@Mamã do @Bazar @#

terça-feira, 14 de novembro de 2017

"Eu escolho ser a mãe que eu quiser"

#@ Quando nos tornamos mães, a vida ganha outro sentido. Se antes tínhamos uma razão para viver, com a chegada de um filho, passamos a ter 1001 razões. Eu senti-me verdadeiramente completa; "mais eu"; e aprendi a amar incondicionalmente.

Mas, nem tudo são rosas na maternidade. E já "me conhecem"; não escrevo só coisas bonitas porque a minha vida; a nossa vida não é perfeita. Somos apenas uma família comum, com os seus altos e baixos; defeitos e qualidades; dias melhores e piores. Mas, acima de tudo, amamo-nos. E, "no final do dia" é o que realmente importa.

O "estatuto de mãe" traz consigo algumas coisas menos boas (na minha opinião!) que, a mim, me tiram do sério... São várias, mas hoje vou apenas centrar-me numa; na que mais me "causa espécie", para não usar uma expressão ainda menos simpática: "as opiniões alheias" sobre como educarmos os nossos filhos. São imensos os tesourinhos que podia partilhar convosco, mas prefiro não o fazer. O meu objetivo é (espero eu!) que quem ler este texto, e tenha por hábito fazê-lo (pela negativa) pense duas vezes antes de o voltar a fazer.

No fundo, escrevo em tom de desabafo; para "dar voz" a todas as mães e mulheres que sentem o mesmo. Não me (nos) levem a mal. As opiniões e experiências são bem vindas; assim como críticas construtivas. Ninguém nasce ensinado. Agora, os julgamentos desmedidos e as observações sem propósito algum, desculpem-me, mas dispenso. A filha "é minha" e sei cuidar bem dela. Muito obrigada pela constante disponibilidade em criticar e opinar!

Lembrem-se mães: não estamos em competição. Estamos todas "no mesmo barco". Todas somos as melhores mães que podemos e sabemos ser. Todas passamos pelo mesmo com os pequenotes; todas ambicionamos e desejamos o mesmo para os nossos rebentos - saúde, amor, alegria e felicidade. Que tal se nos deixarmos de críticas e passarmos a ser mais solidárias, compreensivas, amigas? Já pensaram em "colocar-se na pele da outra mãe" em vez de julgar? Às vezes basta um pequeno gesto ou palavra amiga para acalmar o coração de mãe. Tenham em mente: não somos todas iguais; não temos todas o mesmo conhecimento; não pensamos todas da mesma forma... 
Numa próxima vez, quando quiserem "apontar o dedo", respirem fundo; contem até 10 e pensem: "se fosse eu; se fosse comigo; o que gostaria que me dissessem/fizessem?" - talvez depois disso a vossa reação seja totalmente diferente.

Resumindo: "eu escolho ser a mãe que eu quiser". Ponto. Mais alguém a pensar o mesmo? Quem vive esta realidade da "eu sei educar o teu filho melhor que tu?" Como costumar reagir? Agradeço a vossa partilha de experiências e vivências; "sou toda ouvidos".

Convido-vos a fazerem-me companhia não só aqui no blogue (vão à página inicial, canto superior direito, clicar em seguir) mas também na página de facebook. Com o Natal a chegar, as surpresas vão ser imensaaassss!

Vemo-nos no próximo post!!

@Mamã do @Bazar @#

domingo, 12 de novembro de 2017

"Porquê a escolha do nome Mariana?"

#@ Mariana. Apenas Mariana (sem segundos nomes tal e qual como a mãe e o pai - Sónia e Flávio simplesmente). 

Desde que comecei a "sonhar" ser mãe nunca tive dúvidas sobre o nome se fosse menina: Mariana. O maridão concordou. 
Quando "engravidamos" todos achávamos que seria um menino (o nome também já estava decidido 😉) menos o meu pai. Sempre me disse que seria uma menina; que a "netinha" viria encher o seu mundo de cor-de -rosa. E não se enganou. Às 20 semanas veio a confirmação: iríamos ser papás de uma princesa. E o nosso coração iluminou-se.

Mariana não é só um nome que adoramos; é também uma homenagem às nossas mães pois "junta" os seus nomes: Maria, a minha; e Ana, a do maridão. Por isso Mariana traz-nos o melhor de dois mundos; Mariana é amor incondicional; doçura; alegria; felicidade; o nosso mundo; o meu mundo... E quando a peguei ao colo pela primeira vez, não tive dúvidas: Mariana "assentava que nem uma luva"...

E por aí, a escolha de nomes dos pequenotes foi díficil ou os papás chegaram rapidamente a consenso? Contem-me tudo; "sou toda ouvidos".

Sigam-nos no facebook aqui.

Até ao próximo post! 

@Mamã do @Bazar @#

sexta-feira, 10 de novembro de 2017

"Das Escolhas Cá de Casa VII: Ilustrar com Arte para eternizar a vida"

#@ Sou uma fã de fotografia. Não tenho "olho de profissional", mas gosto de fotografar. A nossa casa está cheia de molduras que retratam momentos felizes; ocasiões especiais; dias inesquecíveis... Uma fotografia sobrevive dezenas de anos, é passada de geração em geração, e conta uma história; a "nossa história"... 

Felizmente a Mariana adora ser fotografada (eu gosto mais de fotografar!) e tenho centenas de fotos que não me canso de rever. A sessão de fotos que fizemos recentemente "aguçou ainda mais" o meu gosto pela fotografia (podem vê-la aqui) e, despertou a vontade de fazer algo diferente; algo que nos "eternizasse" enquanto família.

Foi assim que descobri a Marian'Art Illustrations, mais uma vez através do facebook (bendito 😉!) e me rendi completamente ao trabalho da Mariana. Ela é simplesmente fantástica: super disponível, atenta aos detalhes, simpática e, mais importante, "ouve" o que o cliente diz (conseguiu "captar a nossa essência" enquanto família). Apesar de nos termos decidido por uma ilustração, há mais opções disponíveis: caricaturas; retratos a carvão e até mesmo design de logotipos; tudo personalizado à medida de cada um. Qualquer que seja a escolha, preparem-se para serem totalmente supreendidos. 

E querem saber o mais fantástico? A Mariana tem apenas dezoito anos. Sem dúvida uma jovem promissora cujo talento me deixou completamente rendida. O nosso "retrato" já mora cá em casa e adoramos:

Convido-vos a conhecerem mais da magia que sai das mãos desta menina maravilhosa aqui. Mas deixo um conselho: façam-no com tempo, pois vos garanto que vão adorar. E, com o Natal aí à porta, este pode ser um presente super original 😊. Que me dizem? "Sou toda ouvidos"

Também estou no facebook: façam-me uma visita aqui e sigam-me no blogue. Prometo muitas surpresas em breve.

Até ao próximo post.

@Mamã do @Bazar @# 

quarta-feira, 8 de novembro de 2017

"Mamã porque há pessoas tão más?!?"

#@ Acompanhar o crescimento de um filho(s) é um privilégio e uma bênção inigualáveis. E, como tenho vindo a partilhar convosco, os porquês difíceis não páram de "chegar" (podem ler alguns dos "outros porquês" aqui e aqui).

Sem hora marcada ou pré aviso, as perguntas e questões são cada vez mais frequentes, inesperadas e "duras" de responder. Algumas, nem mesmo eu sei explicar ou justificar. Resta-me ser imaginativa q.b. e real, muito real, porque não vale a pena pintar um mundo demasiado cor-de-rosa; todos sabemos que a vida não é fácil e que o mundo lá fora consegue, por vezes "ser uma selva".

Estávamos a jantar, e na televisão passava uma reportagem sobre o flagelo dos incêndios. A maior parte da nossa família, e muitos amigos, moram em Viseu, portanto esta tragédia "tocou-nos ainda mais". Muito atenta (demasiado até!), a Mariana diz-me: "Mamã, o fogo é mau e magoa as pessoas e as árvores e as casas que ficam com dói-dói e vão para o hospital. Eu fico triste. Tu também ficas?"; "Claro que fico filha. Muito."; "Mamã, mas o fogo não nasce como os bebés, pois não? São as  pessoas que fazem o fogo não é? Porque há pessoas tão más? Eu sou amiga de todos e gosto de todos. É assim não é mamã?"
Fiquei de boca aberta a olhar para a minha filha e durante uns segundos, sem reação. Do alto dos seus três anos já consegue "bater muita gente" no que toca a simplificar as coisas que realmente importam. Apenas consegui dizer: "Filhota, sim, temos de ser amigos de todos. As pessoas não são más amor, só que às vezes têm dói-dói e precisam de ir ao Dr., pois não se sabem portar bem. Entendes?"; ela diz-me "Sim", e continua a jantar.

Boa pergunta, a da Mariana. Eu também não sei porque há pessoas tão más. Infelizmente, não duvido, que hão-de cruzar o caminho da princesa "pessoas más" que a vão "magoar" (não digo fisicamente, mas emocionalmente) e não há que eu possa fazer para a proteger. E isso assusta-me. Muito. 

Como fazem na hora de responder a estas perguntas díficeis? Também vos assusta "a selva" em que vivemos? Conselhos e opiniões precisam-se; "sou toda ouvidos".

Falem comigo também aqui; são bem vindos ❤!

Marcamos encontro no próximo post!

@Mama do @Bazar @#

domingo, 5 de novembro de 2017

"As mães também podem fazer birra, não podem?!?"

#@ Hoje escrevo-vos em tom de desabafo. Porque há alturas na vida em que todos vivemos momentos menos bons; em que tudo parece "estar contra nós". Tento sempre pensar positivo, e convencer-me (mentalmente!) que não passa de uma fase; que sou super mulher e tenho força para ultrapassar e lidar com as adversidades. Mas, por vezes, não é fácil.

Cá por casa está aberta a época das "doenças outonais", como tão carinhosamente lhe chamo. Primeiro foi a tosse e nariz a pingar da Mariana, que chegaram de mansinho; seguiu-se a febre; falta de apetite; ida ao médico; medicação e regresso à escola. 
Depois começa a mãe (entenda-se eu) com rouquidão, garganta a arranhar e nariz a pingar - "olá gripe!". O pai, super solidário, já começa a "dar sintomas" de gripe a caminho. E como na nossa família, até os electrodomésticos "respiram" solidariedade, o LCD e o ferro de engomar resolveram hibernar de vez. Um rodopio de emoções este T3 😁! Valha-nos o espírito bem disposto...

Com o maridão a trabalhar em horários trocados a mim, e sem família por perto para "ter uma pausa" ou colinho de mãe (sim, as mães também precisam de colinho, não fiquem tão espantados!  Sei que parecemos de ferro, mas também nos vamos abaixo), há momentos particularmente díficeis. 
O cansaço das noites mal dormidas (ou ausência delas); a ginástica para não faltarmos ao trabalho; o correr para chegar a tempo da "rendição" de forma ao maridão ir trabalhar a horas; o vermos os filhotes desanimados, sem apetite ou a chorar com dor; a má alimentação (ou "comer a correr", como lhe chamo); as tarefas domésticas a acumular; a ausência de vida social pois não há ninguém por perto que nos "dê uma mão"; a falta de tempo para cuidarmos de nós... Não "matam, mas moem"...

Ufa,  há alturas que me apetece fazer uma birra. Mas uma "birra daquelas"; com direito a gritos, espernear no chão e com plateia a abanar a cabeça e a comentar "entre dentes": Que mal educada". Uma birra sem hora marcada, sem tempo para terminar e onde me apetecer. Uma birra para libertar o cansaço e a frustação. Uma birra em que tiro a capa de super mãe e sou apenas a Sónia, mulher, sem me preocupar com o que "a sociedade vai pensar". 

Acham que as mães têm direito a fazer birra de vez em quando? Será que os maridos, namorados, companheiros, estão preparados para lidar com o "movimento das birras" 😉? Às vezes também vos dá vontade de "fazer uma birra colossal"? Por favor, acalmem o meu coração, e digam-me que não sou a única a sentir este "apelo birrento" 😊. Já sabem que "sou toda ouvidos".

Sigam o nosso dia-a-dia no facebook do blogue.

Até ao próximo post!

@Mamã do @Bazar@ @#

sábado, 4 de novembro de 2017

"E a vencedora do passatempo "Sweet Halloween" é..."

#@ Tambores a rufar, expetativa ao rubro e ansiedade no ar.... A vencedora é a Marta Guedes 😊! Parabéns ☺. Ganhou um conjunto de collants e laço de As Meias da Rosa; e uma pulseira protetora de Migu - Pulseiras Protetoras. Aguardo o seu contato por mp.

Em nome do Blogue da Mamã do Bazar e das duas marcas participantes; o nosso muito obrigada pela vossa adesão e divulgação do passatempo. Continuem a acompanhar o nosso trabalho 😍.

Convido-vos a seguirem-me não só aqui no Blogue, mas também na página de facebook clicando aqui. Em breve teremos mais passatempos e novidades ❤.

Bom fim-de-semana e até ao próximo post 😉!! 

@Mamã do @Bazar @#

"Eu, mãe, também preciso de uma pausa..."

#@ E não, não tenho vergonha ou problema em o admitir. Ser mãe transforma a nossa vida completamente.  Aprendemos o que é amar incondicional...