sábado, 19 de janeiro de 2019

"A tortura das mães"

#@ Há quem leia este título e o ache "muito forte" ou, até exagerado, acredito que sim, mas é o que eu sinto, e como escrevo sobre o que sinto, não poderia dizê-lo de outra forma...

Não sei como é convosco, mas desde que fui mãe ganhei super poderes para (quase!) tudo, exceto uma coisa...
Eu consigo aguentar a fome; comer de pé, e a correr; comer a comida fria; usar rabo de cavalo porque não tenho tempo para um penteado mais "composto", digamos assim; ter a casa com brinquedos espalhados pelo chão; cheiros fortes (para usar palavras simpáticas 🤗!); tardes a ver desenhos animados; horas na fila do supermercado; suportar a sede e a vontade de fazer "um chichi"; horas a lavar, estender, dobrar e passar roupa; birras em plena praia ou restaurante, sem parar de sorrir; dois meses para ler dois capítulos de um livro;... Sim, sou capaz de tudo isto, mas, quando se trata de privação de sono, eh, "o caso muda de figuras"...

Sim, confesso, ainda não aprendi a sobreviver sem dormir. E garanto-vos que é feio, muito feio, lidar comigo quando estou com sono... Há alturas em que digo coisas sem pensar (é como aquela publicidade do "eu não sou eu quando estou com fome" - no meu caso é mais "eu não sou eu quando estou com sono...), e sem intenção, e depois fico triste, frustada, zangada comigo mesma. Sobretudo, quando estes "episódios" acontecem com a Mariana...

Ok, bem sei que já devia estar habituada a noites em branco; madrugadas acordada; doenças pela noite dentro; tosses, febres, pesadelos, terrores noturnos; sonos ao colo horas a fio; choro de cólicas que não acalmava por nada,... Sei tudo isso. No entanto, não consigo mesmo acostumar-me à privação de sono... Parece que "acorda o monstro que há em mim", digamos assim...
Também vos acontece?

Aproveito este desabafo para pedir desculpa à Mariana. Filha, a mãe não é ela quando está com sono.  Confesso que só não faço birra como as crianças, porque não é bem visto (e porque não posso!). Mil desculpas 💖.

E voces: qual a coisas de que mais sentem falta desde que foram mães/pais? São como eu e têm imensas saudades das noites de sono diretas? Ou há outras coisas de que sintam ainda mais falta?
Sejam sinceros; este epaço é nosso - não há julgamentos ou apontares de dedos. E, como de costume, "eu sou toda ouvidos".

Vejo-vos no próximo post.

Nota: o Facebook mudou o algoritmo; vão ver mais posts dos vossos amigos e menos de páginas onde deixaram o vosso like. Querem saber quando há publicações nossas e estar sempre a par das novidades? Então na página de facebook do blogue, clicam onde diz “A Seguir” e selecionam "Ver Primeiro".
Sigam-nos ainda no Instagram aqui e no blogspot também conto convosco - vão à página inicial aqui do blogue; no canto superior direito clicam "seguir" e já está 😊.

@Mamã do @Bazar @#

6 comentários:

  1. Obrigada pelo seu testemunho. Eu revejo-me em tudo o que disse. Acho que a privação de sono é de longe a pior coisa da maternidade. A minha filha tem dois anos e ainda não sei lidar com isto.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Compreendo perfeitamente.
      Ainda hoje, quase cinco anos depois, tem dias que não consigo <3

      Eliminar
    2. Esqueci-me de dizer que gosto muito do seu blogue. Acho que fala muito de temas pouco abordados, talvez por vergonha não sei, mas muito importantes. É é tao bom quando estamos a ler e percebemos que não estamos sozinhas, somos muitas com os mesmos medos, angústias, fraquezas...
      Obrigada de coração ❤

      Eliminar
    3. Oh, só vi agora. Obrigada eu Adriana. De coração.

      Eliminar
  2. Também adquiri esses super poderes, mas o que tenho mais falta é de tempo para mim... tempo para os DIY que tanto adoro!! Precisamos ter para dar e preciso ter tempo para mim, para me encontrar comigo mesma para depois ter para dar!!

    ResponderEliminar

"Sete anos do melhor de mim..."

#@ Sete anos; a minha princesa faz hoje sete anos 💖. Filha, apesar de hoje ser o dia do teu sétimo aniversário, já te amo há mais tempo que...