segunda-feira, 23 de julho de 2018

"O doce reencontro com a Mariana"

#@ Como partilhei convosco ao longo da semana, a Mariana foi para Viseu, para ao pé dos avós, sete dias. Leram bem: S-E-T-E DIAS (que mais me pareceram sete anos!). Sinceramente, sabia que iria sentir muito a falta dela, mas nunca pensei que fosse tanto...

Na verdade, sem ela a casa fica "sem luz", apagada, triste, fria, só... Não há gargalhadas, sorrisos, a sua voz meiga a chamar por mim, beijinhos sem se fazerem esperar, colo, muito colo, nem o seu abraço apaziguador, capaz de tornar qualquer dia mau, num dia maravilhoso e cheio de cor.

Admito que senti falta dos brinquedos espalhados, da televisão sempre nos desenhos animados, da "vozinha fofinha" a chamar "mãe" a todo o instante, de companhia na casa-de-banho (não vale rir porque senti mesmo falta 😏!); 

Sei que ela esteve bem, brincou imenso, reviu primos e tios, criou ainda mais laços com os avós, correu na terra, fez bolinhos de lama, apanhou morangos, subiu às arvores, alimentou as galinhas e pintainhos, dançou no rancho, regou os legumes da horta, foi feliz... Construiu memórias e momentos felizes, que vão tornar a sua infância ainda mais alegre e cheia de amor.
Racionalmente sei tudo isto, mas emocionalmente o sentimento era outro: ansiava por a ir buscar, por a cheirar, beijar, abraçar, ter no meu colo sem minutos contados, dormir agarradinha a ela e olhar cada pedacinho seu...

O reencontro foi mágico. Assim que me viu a mim e ao pai saltou para o nosso pescoço, o nosso colo, encheu-nos de beijos e não mais nos largou. Ela não sabia "para onde se virar", literalmente. Ora queria o papá, ora a mamã, ora os dois. Na primeira noite dormimos os três, bem apertadinhos 💖,e confesso que passei mais tempo a olhá-la e a cheirá-la, do que a dormir... Mãe é mesmo assim, não é 😍?

Independentemente das saudades, sei que esta semana lhe fez bem; noto-a mais crescida, mais autónoma, mais desembaraçada. Tenho de me convencer que ela está a crescer, que  vai querer "voar para fora do ninho" cada vez mais; que "já não precisa da mãe" para tudo...
Mas, há uma coisa que ela continua a pedir (e que terá sempre), tenha a idade que tiver: o meu colo e o meu abraço. Esses não têm prazo de validade. E serão dela para sempre.

Quero aproveitar, também, para agradecer as várias mensagens de apoio, força e carinho que vocês me enviaram estes dias. Acalmaram o meu coração. Bem-haja por terem dedicado um pouco do vosso tempo a nós 💖.

Aqui ficam algumas fotos destes dias e do reencontro:
Como é convosco quando reveêm os vossos filhos, depois de estarem longe? Também sentem que eles cresceram, que engordaram/emagreceram, que estão mais "autónomos"? O reencontro é tão doce, não é? 
Contem-me tudo: as vossas experiências são bem vindas, e eu "sou toda ouvidos".

Até ao próximo post!

Nota: o Facebook mudou o algoritmo; vão ver mais posts dos vossos amigos e menos de páginas onde deixaram o vosso like. Querem saber quando há publicações nossas e estar sempre a par das novidades? Então na página de facebook do blogue, clicam onde diz “A Seguir” e selecionam "Ver Primeiro".
Sigam-nos ainda no Instagram aqui e no blogspot também conto convosco - vão à página inicial aqui do blogue; no canto superior direito clicam "seguir" e já está 😊.

@Mamã do @Bazar @#

1 comentário:

  1. Ainda não passei por isso mas acho que só de ler este post fiquei com ansiedade, imagino depois...

    ResponderEliminar

"Sete anos do melhor de mim..."

#@ Sete anos; a minha princesa faz hoje sete anos 💖. Filha, apesar de hoje ser o dia do teu sétimo aniversário, já te amo há mais tempo que...