domingo, 5 de novembro de 2017

"As mães também podem fazer birra, não podem?!?"

#@ Hoje escrevo-vos em tom de desabafo. Porque há alturas na vida em que todos vivemos momentos menos bons; em que tudo parece "estar contra nós". Tento sempre pensar positivo, e convencer-me (mentalmente!) que não passa de uma fase; que sou super mulher e tenho força para ultrapassar e lidar com as adversidades. Mas, por vezes, não é fácil.

Cá por casa está aberta a época das "doenças outonais", como tão carinhosamente lhe chamo. Primeiro foi a tosse e nariz a pingar da Mariana, que chegaram de mansinho; seguiu-se a febre; falta de apetite; ida ao médico; medicação e regresso à escola. 
Depois começa a mãe (entenda-se eu) com rouquidão, garganta a arranhar e nariz a pingar - "olá gripe!". O pai, super solidário, já começa a "dar sintomas" de gripe a caminho. E como na nossa família, até os electrodomésticos "respiram" solidariedade, o LCD e o ferro de engomar resolveram hibernar de vez. Um rodopio de emoções este T3 😁! Valha-nos o espírito bem disposto...

Com o maridão a trabalhar em horários trocados a mim, e sem família por perto para "ter uma pausa" ou colinho de mãe (sim, as mães também precisam de colinho, não fiquem tão espantados!  Sei que parecemos de ferro, mas também nos vamos abaixo), há momentos particularmente díficeis. 
O cansaço das noites mal dormidas (ou ausência delas); a ginástica para não faltarmos ao trabalho; o correr para chegar a tempo da "rendição" de forma ao maridão ir trabalhar a horas; o vermos os filhotes desanimados, sem apetite ou a chorar com dor; a má alimentação (ou "comer a correr", como lhe chamo); as tarefas domésticas a acumular; a ausência de vida social pois não há ninguém por perto que nos "dê uma mão"; a falta de tempo para cuidarmos de nós... Não "matam, mas moem"...

Ufa,  há alturas que me apetece fazer uma birra. Mas uma "birra daquelas"; com direito a gritos, espernear no chão e com plateia a abanar a cabeça e a comentar "entre dentes": Que mal educada". Uma birra sem hora marcada, sem tempo para terminar e onde me apetecer. Uma birra para libertar o cansaço e a frustação. Uma birra em que tiro a capa de super mãe e sou apenas a Sónia, mulher, sem me preocupar com o que "a sociedade vai pensar". 

Acham que as mães têm direito a fazer birra de vez em quando? Será que os maridos, namorados, companheiros, estão preparados para lidar com o "movimento das birras" 😉? Às vezes também vos dá vontade de "fazer uma birra colossal"? Por favor, acalmem o meu coração, e digam-me que não sou a única a sentir este "apelo birrento" 😊. Já sabem que "sou toda ouvidos".

Sigam o nosso dia-a-dia no facebook do blogue.

Até ao próximo post!

@Mamã do @Bazar@ @#

3 comentários:

  1. Ola mama acalme seu coração porque nao e unica cá em casa tambem andam as doencas outonais�� como lhe chama entre outras �� a dias que apetece mesmo fazeruma birra e das grandes ���� .bjinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bom dia. Obrigada pela partilha e pelas palavras. Há dias mais difíceis mesmo, mas depois passa tudo com um abraço e um sorriso dos pequenotes. Beijinhos

      Eliminar
  2. Eu acho que ando a uns dias com uma birra, mas nunca achei ser possível. É muito difícil desdobrar me em 50!! Não temos os horários trocados mas a realidade é que ele trabalhando part time e eu full time, continuo a ser eu a mais sacrificada, eu a fazer mais. Acredite, não é a única. Tenho 3 filhos a contar com o marido e a birra maior e a dele. Beijinhos

    ResponderEliminar

"Sete anos do melhor de mim..."

#@ Sete anos; a minha princesa faz hoje sete anos 💖. Filha, apesar de hoje ser o dia do teu sétimo aniversário, já te amo há mais tempo que...