sexta-feira, 29 de dezembro de 2017

"Manual de sobrevivência para os saldos"

#@ Sim, é verdade, os saldos chegaram – para muita gente é Natal outra vez 😁. Eu sei, dá vontade de ir a correr para as lojas e comprar tudo aquilo a que conseguirmos deitar mão (e que o dinheiro “deixar”) – chamo-lhe “euforia louca dos saldos”. Mas... atenção... Nem tudo o que parece é: às vezes temos de respirar fundo, contar até dez e pensar duas vezes (ou três ou quatro!).


Há algumas “regras de ouro” que aplico quando “embarco na viagem dos saldos”, e que me têm ajudado muito nesta jornada, por isso quero partilhá-las convosco – espero que vos sejam úteis. Aqui estão elas:

1 – Ir de manhãzinha – No meu caso sejam saldos ou “compras normais” vou sempre cedinho. Assim, encontro as lojas arrumadas e as funcionárias “bem dispostas” e com paciência 😊;

2 – Ir sem crianças – Não é fácil, pois o maridão trabalha por turnos, mas tento escolher um sábado de manhã em que ele esteja em casa, e vou sozinha. Se ele vai comigo é ainda mais impaciente que a Mariana 😉;

3– Comprar apenas peças úteis e respeitar o orçamento estabelecido – Sim, a tentação é muita, e algumas peças “parecem gritar”: “leva-me contigo! Fico tão bem no teu roupeiro!”, mas “há que ser forte” e resistir. Eu opto por investir em peças intemporais e que fazem sempre falta, como casacos e básicos (no caso da Mariana), e casacos, malas e acessórios para mim;

4 – Verificar o preço – Isto faço sempre. Algumas peças têm a etiqueta de desconto por cima do preço e até nos pode parecer “barato”, mas se nos “dermos ao trabalho” de descolar, vemos que o desconto é de 50 cêntimos (ou até mesmo nenhum). Quando acontece, penso para comigo: “vale a pena? Preciso mesmo?”;

5 – Experimentar antes de comprar – Com a saturação caímos no erro de comprar sem vestir. “Big mistake!”. “Uma coisa” é o que está no manequim ou em exposição; “outra coisa” é como nos assenta no corpo. Pode ser lindo e irresistível, mas ao vestir “transforma-se” em feio e assustador. E isto aplica-se aos filhotes também. Como, normalmente, não levo a Mariana comigo, pergunto sempre se posso trocar. Valha-nos isso;


6 – Fazer uma vistoria minuciosa às peças que vamos comprar – Basicamente, o que faço é “inspecionar à lupa” cada peça, em busca de manchas ou defeitos. É que na confusão dos saldos, muitas peças postas à venda não estão nas melhores condições...;

7 – Levar roupa “descontraída” e fácil de despir; calçado confortável; água; toneladas de paciência e quilos de boa disposição – Sim, ao embarcar na “viagem saldos”, temos de ir “super preparados” para despir e vestir rapidamente e com calçado que não provoque dor de pés; água para a sede súbita; muita paciência e boa disposição para “enfrentar” as filas para aceder às prateleiras (não se riam, já me aconteceu!), aos provadores e às caixas de pagamento; e para as “guerras pelas últimas peças” (das quais eu “fujo a sete pés”!).

Seguindo estas regras é mais fácil sobreviver aos saldos. Pelo menos para mim. Vocês que acham? Têm sugestões ou conselhos para “a troca”? Contem-me tudo; “sou toda ouvidos”.

O blogue também está no Facebook – não se esqueçam de fazer gosto e seguir aqui. Partilhem com os amigos ❤. 

O encontro fica já marcado para o próximo post. Até lá!

@Mamã do @Bazar @#

* Créditos da imagem @Detalhes by Cat

Sem comentários:

Publicar um comentário

"Sete anos do melhor de mim..."

#@ Sete anos; a minha princesa faz hoje sete anos 💖. Filha, apesar de hoje ser o dia do teu sétimo aniversário, já te amo há mais tempo que...