segunda-feira, 5 de fevereiro de 2018

“Como é viver com um marido “por turnos”?”

#@ Não, este texto não é de todo uma crítica ou uma lamentação; é mais um desabafo, como tantos outros que faço convosco, porque me sinto à vontade para tal; porque, ao escrever, a minha alma alivia e o meu “peito esvazia”, e renovo-me; mesmo.

Antes da Mariana nascer, era muito mais fácil gerir os nossos horários trocados; os fins de semana dele a trabalhar, as noites dele fora; as folgas durante a semana e os serviços “extra”. A nossa vida enquanto casal era menos “ginasticada”, digamos assim, pois só tinha de me “preocupar comigo”. Os horários eram flexíveis; as refeições eram mais vezes fora do que em casa; as saídas durante a semana eram algumas (sim, eu já “aguentei” dormir três horas por noite e vir trabalhar com cara fresca e fofa, juro!) e a pressão horária era mínima.

Quando a Mariana “chegou” para encher a nossa vida de amor, os horários rotativos do maridão começaram (verdadeiramente!) a tornar-se “complicados”. As noites a trabalhar significavam (e significam!) eu sozinha para gerir febres, birras, pesadelos, insónias e “correria” para chegar a casa antes dele sair; os fins de semana de serviço implicam menos tempo a três e mais tempo a duas (o que, com casa e roupa para tratar, se torna, por vezes, caótico). Para ajudar, “adicionem” avós a 300km de distância e imaginem o cenário: “mãe cá de casa ainda mais sobrecarregada”.
Por muito que o maridão ajude, a verdade é que a maioria das “ditas tarefas”, estão sob a minha alçada, e há dias mesmo difíceis: acordar às seis e deixar a Mariana na escola antes das 07h, onde passa 10horas ou mais; ir trabalhar; voltar; ir buscar; banhos; cozinhar; tratar das roupas...

Explicamos à Mariana, e na maioria das vezes ela entende os horários do pai, mas, há alturas, em que chora de manhã porque quer o papá e ao final do dia nova birra porque “o pai é que é bonzinho”. Estes “episódios”, coincidem com dias em que estou mais cansada e, por isso, com menos paciência. São “aqueles dias” que todos temos e que só queremos que terminem rápido; que os pequenotes comam tudo sem birras e que adormeçam “mal caiam na cama”...
Mas, a verdade, é que, se me colocar no lugar dela, ela tem razão em querer atenção a dobrar, pois só tem um dos pais por perto (e eu também quero descansar a dobrar – só que não vai acontecer!) e passou o dia inteiro na escolinha. Mas eu sou só uma e não me consigo desdobrar (infelizmente!)

As tecnologias ajudam a encurtar a distância física, e a Mariana fala com o pai por vídeo chamada, o que a acalma bastante e a deixa feliz. Pena é as tecnologias não “permitirem” que, certas tarefas, sejam feitas à distância 😛!
Fora de brincadeiras, há fases complicadas e outras menos penosas; alturas em que sinto que trago o “peso do mundo às costas” ... Viver com “um marido por turnos é como correr a maratona”: exige muito treino, preparação, alturas em que apetece desistir e precisamos de motivação, momentos em que achamos que vamos cair para o lado e outros em que sentimos que estamos no topo da “adrenalina”. Mas no final, quando damos de caras com o sorriso dos nossos filhos, sabemos que tudo vale a pena 💗.

Mais alguém a viver o mesmo? Como fazem nos dias mais difíceis para se “motivarem”? Contem-me tudo: já sabem que “sou toda ouvidos” e que as vossas experiências são bem vindas!

Não se esqueçam de nos acompanhar na página de facebook aqui.

Até ao próximo post!

@Mamã do @Bazar @#

31 comentários:

  1. E uma verdade o meu marido faz 3 tipos de turnos n turno da 00h as 7h e das 15 a 00h sinto que nunca o vemos pois qd esta em casa quer dormir..sou mae de 3 filhos a mais pq tem 6meses a carga e maior apesar de ter 1 filha cm 12 anos q ja me ajuda e dificil noites mal passadas ir levar a cresce ir trablhar correr para a vir buscar pois tenho curto tempo de sair ate ir busca lá e chegar a casa e ter todo para fazer..nesse tempo sinto q deixo d dar atenção aos miúdos para dar atenção a casa..e dificil nao ter ng para ajudar e estar sozinha para todo..eu percebo o quanto sente..mas muita gente n percebe e julga ...gostam muito do ha se fosse eu 😃😃😃😃a mim deixa me conpletamente feliz porque essa pessoa geacas a Deus nao tem q lutar como eu..desejo todo de bom beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Agora imagine a ginástica quando para além do pai, a mamã também trabalha por turnos...

    ResponderEliminar
  3. Aqui trabalha se os dois por turnos.
    Qd um faz fim de semana outro folga e vice versa.
    E a 2000km da familia.
    Com um menino de dois anos. É a vida :)

    ResponderEliminar
  4. Olá. Antigamente eu e o meu marido trabalhávamos os 2 por turnos e não era nada fácil..ainda por cima o local de trabalho dele era a 30 km de casa, ou seja para ir entrar as 5 da manhã levantava se às 3:30... o que nos valeu foi ter os meus pais perto que ficavam com a menina quando os nossos horários não batiam certo..
    Agr apenas eu continuo nos turnos e continua a não ser fácil, custa mt deixa los,ao fim de semana por exemplo, para ir trabalhar..mas com boa comunicação e entreajuda tudo se faz e sinto que a minha filha, que tem agr 10 anos, é mt mais independente e responsável quando eu não estou,talvez por se sentir no papel de mulher da casa.. e tb sinto que como tenho folgas de semana enquanto eles não estão consigo orientar as minhas tarefas para que qd eles chegam estar mais disponível..
    Trabalhar por turnos tem prós e contras mas que não é fácil não..
    Coragem para todos os que se encontram nestas situações

    ResponderEliminar
  5. Entendo perfeitamente o teu desabafo
    Passo pelo mesmo e se nao fosse a Internet iria axar que eu era unica e incopetente. Bem vinda ao grupo

    ResponderEliminar
  6. Por aqui muito idêntico. Mas tenho um casalinho. Eu trabalho das 9h às 18h e o meu marido é motorista de pesados sai de casa às 5e30 e chega a casa por volta das 21.30. A mais velha está a passar aquela fase que vira tudo e não quer arrumar nada e o mais pequeno é que coitadinho, ainda não se aprece e das coisas. Tenho dias de desespero, de não ter tempo para nada nem para mim. O que nos vale é que ainda temos o domingo em família

    ResponderEliminar
  7. Como eu entendo aqui em casa e a mãe e o pai a trabalhar por turnos com dois filhos uma de 1 ano e outro de 5 e caótico é só uma folga por semana e rotativa por vezes é deixar a casa num caos mesmo sem querer mas as forças por veZes falham como eu entendo

    ResponderEliminar
  8. Não deve ser nada fácil de gerir. Cá por casa é a mãe que trabalha por turnos ( não tão maus como os 3 turnos das 24 horas), mas com 1 a 2 noites por mês, 2 a 3 saídas por semana depois das 20h30, por vezes às 23h e 2 a 3 sábados por mês. Em casa duas pirralhas de 6 e 10 anos. O mais difícil é a colaboração do pai quando eu não estou, pois está sempre a queixar-se por ter que ficar com elas...

    ResponderEliminar
  9. Aqui também trabalhamos os dois por turnos, com dois piolhos, um com 6 anos e outro com 2.nao e nada fácil, temos que andar quase sempre com horários trocados por causa deles. Quando um esta de manhã o outro tem que estar de tarde.depois ha também as noites, muitas vezes estamos mais de uma semana sem dormirmos juntos. La de vez em quando calha uma folga juntos. Nao e mada fácil.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Imagino que não ❤. Muita força. Pelos nossos filhos, tudo.

      Eliminar
  10. Totalmente...eu ontem as 3 da manhã chorava que nem uma criança..estou de 31 semanas,muito sono...mobilidade a comecar a ficar reduzida..e ele está nas noites,dorme ate as 17h..ou seja de manha e à noite sou eu que trato de 1 menino de 3 anos com muitaaa energia...so apetece desistir. Por isso força porque é muito desmotivador...para alem do contra que ele anda enervado o dia todo..enfim ����

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muita força. Nós mães temos uma capacidade de adaptação impensável. Beijinhos a todos

      Eliminar
  11. Somos um pais de terceiro mundo. Antigamente o domingo era sagrado, não havia cafes, cinemas, supermercados,etc. Era o dia da família. Somos uns consumistas compulsivos. Por mim nada abria ao domingo para passarmos tempo de qualidade com os nossos. É durante a semana tudo fechava as 7 e ninguém ia morrer. Muito pelo contrário. Íamos ganhar mais vida.

    ResponderEliminar
  12. Sei bem como se sente, aqui em casa trabalhamos os dois por turnos, ele entra às 8 da noite e sai às 8 da manhã ou entra as 8 da manhã sai as 8 da noite.. Eu por outro lado, consigo aproveitar a minha hora de almoço para a ir buscar mais cedo qd posso, pq trabalho das 8.30 às 13.30 e depois só entro às 18 para sair às 21 É complicado, pois temos dias que eu só q vejo de manhã e quando chego a casa já ela está a dormir.. Além de nem sempre temos folgas ao fim de semana para estar com ela, pois as nossas folgas são rotativas. Este fim de semana calhou estarmos os dois juntos com ela em casa, para o próximo já não vai ser assim :( e ainda nem começou a época dos fogos (marido bombeiro), ai ainda vai ser pior :( às vezes sinto-me tão sozinha.. Mas quando olho para ela, sei que todos os sacrifícios que fazemos valem a pena. Por ela, o melhor, sempre. Muita força e um beijinho enorme :*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Beijinhos e muita força também ❤. Obrigada por ter deixado o seu testemunho

      Eliminar
  13. Aqui em casa trabalhamos os 2 por turnos e com criancas e quase desesperante, trocamos turnos para estar um de nos livre de manha e um a tarde, um livre ao fim de semana e o outro folga a semana....mal nos vemos e isso nao ajuda a ter um bom casamento, mas infelizmente e a vida nos dias de hoje...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade. É a vida sim. Haja força, saúde e compreensão ❤

      Eliminar
  14. O meu marido trabalha em rotação em Angola. Um mês ca o outro lá, duas semanas lá... duas cá, em fim... Com ele lá vai a rotina do filho que com dois anos ainda nao percebe que o pai nao o está a abandonar e que o pai sempre volta.

    ResponderEliminar
  15. Bem.. o meu marido trabalha por turnos, ou faz manha, ou faz tardes ou faz noites! Ainda não sou mãe, mas se já me custa, imagino vocÊs mães com trabalho a dobrar!!!! Um dia também me vai calhar a mim, mas acredito que somos umas guerreiras, e conseguimos ultrapassar tudo! Força a todas***

    ResponderEliminar
  16. O Marido trabalha por turnos... Pais longe... Filho de 3anos e outro 5 meses.. a loucura.... Na próxima semana vou voltar ao trabalho.. vamos ver como me oriento.. mas por eles tudo vale a pena. E claro nos mulheres somos umas Guerreiras e conseguimos TUDO.

    ResponderEliminar
  17. Não é fácil trabalhar por turnos. Tem de haver muita compreensão de parte a parte no casal.
    Digam o que disser quem trabalha por turnos tem um desgaste emocional muito maior.
    Este trabalhador costuma revelar muito cedo o síndrome de bernaut, ou exaustao no trabalho.
    Tb não é fácil para o outro cônjuge, quando existem crianças pequenas.
    Mas pf não ignore o seu companheiro qd este fiz que está exausto.
    Mt compreensão é o que desejo a todos.

    ResponderEliminar

"Sete anos do melhor de mim..."

#@ Sete anos; a minha princesa faz hoje sete anos 💖. Filha, apesar de hoje ser o dia do teu sétimo aniversário, já te amo há mais tempo que...