sexta-feira, 15 de fevereiro de 2019

"Pais, o melhor presente que podem dar aos vossos filhos é amarem-se"

 #@ Há uma frase que ouvimos muito quando começamos a pensar (e comentar!) que gostaríamos de ser pais: "ui, aproveitem agora, porque depois de serem pais, a vida muda completamente!". Pois... Mas esquecem-se de nos dizer uma coisa "muda para melhor"... É que, por vezes, parece que este conselho que nos dão (sem ser pedido!), é dito em tom de advertência assustadora...

Não deixa de ser um fato que a vida muda imenso depois de sermos pais (na minha opinião para muito melhor!), assim como as relações. Já partilhei convosco a minha opinão aqui
Mas, o que mais me assusta, é quando permanecemos numa relação, onde já não há amor, cumplicidade, nem diálogo, apenas pelos filhos; pelo que a sociedade vai dizer; pelo que a família vai comentar; pela "vergonha" de admitir um relacionamento fracassado.

Sim, é verdade que preferimos ver uma família junta, unida, feliz. Não há nada como chegar a casa, ao nosso lar, depois de um dia fácil díficil, e encontrarmos as pesssoas que amamos, e rirmos ou chorarmos juntos; desabafar as coisas boas e menos boas; partilhar os nossos sonhos, ambições, medos, receios, expetativas; lutarmos lado a lado por uma vida melhor, por dar o melhor ao nosso melhor - os nossos filhos.

Mas, quando isso não é possível, sair e seguir em frente é o maior ato de coragem que podemos ter, por nós, pelos nossos filhos. Mostrar-lhes que é possível os pais conviverem, mesmo quando já não vivem juntos, e quando já não se amam, dando o "nome às coiasa", é o melhor exemplo e uma grande prova de amor que lhes podemos dar.

Porque os nossos filhos aprendem pelo exemplo; seguem o exemplo; "olham para nós" em busca de exemplo; repetem o exemplo que lhes damos. Por isso, o que eu aprendi, o que eu percebi desde que fui mãe, é que o melhor que podemos dar-lhes é o exemplo de amor, de paz, de harmonia. De família. Estejam os pais juntos ou separados.
Porque os bens materiais vão-se, mas as recordações e atitudes são eternas; e são elas que vão influenciar a vida dos nossos filhos.

Espero que um dia "não me bata à porta" o desamor; o desinteresse; o fim de ligação emocional; o perder-me do meu companheiro de vida e ele de mim. Mas, se isso acontecer, deus me ajude a ter coragem para sair e seguir em frente.

Por isso pais, nunca se (nos) esqueçam(os): amemo-nos sempre. Todos os dias. Respeitemo-nos; sejamos companheiros; fiéis; sinceros; honestos; dedicados. Que nunca nos percamos.
Mas, se por algum acaso da vida isso acontecer, que tenhamos sempre força para fazer o que é certo, para respeitar a pessoa que está ao nosso lado e, acima de tudo, respeitar os nossos filhos.
Alguém com alguma história para partilhar? Sintam-se à vontade para contar; além de eu ser "toda ouvidos", as vossas partilhas podem estar a ajudar mais pais e mães. Lembrem-se disso ❤.

Temos encontro marcado no próximo post!

Nota: o Facebook mudou o algoritmo; vão ver mais posts dos vossos amigos e menos de páginas onde deixaram o vosso like. Querem saber quando há publicações nossas e estar sempre a par das novidades? Então na página de facebook do blogue, clicam onde diz “A Seguir” e selecionam "Ver Primeiro".
Sigam-nos ainda no Instagram aqui e no blogspot também conto convosco - vão à página inicial aqui do blogue; no canto superior direito clicam "seguir" e já está 😊.

@Mamã do @Bazar @#

Sem comentários:

Publicar um comentário

"Sete anos do melhor de mim..."

#@ Sete anos; a minha princesa faz hoje sete anos 💖. Filha, apesar de hoje ser o dia do teu sétimo aniversário, já te amo há mais tempo que...